Back

Dra. Isabel Branco, médica especialista em imunohemoterapia no IPO Lisboa

Dia da Consciencialização da Aférese

"A aférese permite a colheita de um ou mais componentes do sangue, destinados a uso terapêutico. A mais comum no Serviço de Imunohemoterapia do IPO Lisboa é a colheita de plaquetas".

17 de setembro é o Dia da Consciencialização da Aférese. A data, celebrada todos os anos na terceira terça-feira de setembro, tem como objetivo promover a consciencialização sobre a aférese e homenagear os dadores, doentes e operadores de aférese que se dedicam a salvar outras pessoas, usando práticas baseadas na evidência para fazer avançar esta área médica.

Na vertente terapêutica, a aférese permite a remoção seletiva de células ou substâncias anormais em circulação (plasmaferese, leucaferese, trombocitaferese) ou o seu tratamento (como a fotoferese), com o objetivo de reverter ou impedir a progressão de uma doença.

Na aférese, o sangue do doente circula através de um dispositivo médico que separa um ou mais componentes sanguíneos, devolvendo ao doente os restantes componentes, com ou sem recurso a fluídos de reposição. A aférese é, também, um dos métodos usados para a colheita de progenitores hematopoiéticos (vulgo células da medula) em doentes candidatos a auto-transplante.

Em dadores, a aférese permite a colheita de um ou mais componentes do sangue, destinados a uso terapêutico. A mais comum no Serviço de Imunohemoterapia (SIH) do IPO Lisboa é a colheita de plaquetas, um processo que demora cerca de uma hora e pode ser feito de duas em duas semanas, no máximo.

As plaquetas são células imprescindíveis para a coagulação e podem ser necessárias aos doentes oncológicos, quer pela sua própria doença, quer pelos tratamentos a que são submetidos.

Ocasionalmente, alguns doentes podem estar imunizados e necessitar de plaquetas especialmente compatíveis. Por esse motivo, os dadores regulares de plaquetas estão tipados no sistema human leukocyte antigen (HLA) e podem ser convocados para doar especificamente para um daqueles doentes.

Para ser dador de plaquetas é necessário ter feito pelo menos duas dádivas de sangue total e ter boas condições (veias adequadas e boas contagens de plaquetas). Após avaliação num breve exame médico, se considerado apto, a colheita poderá ser agendada em qualquer dia útil.

 

P.S.: Para assinalar o Dia da Consciencialização da Aférese 2019, o Serviço de Imunohemoterapia (SIH) do IPO Lisboa recebeu a enfermeira americana Betty Doggett, fundadora e presidente do Apheresis Awareness Day Group.

Com vasta experiência na área de aférese em doentes e em dadores, Betty Doggett é técnica certificada em aférese no UT Southwestern Medical Center, no Texas, EUA, onde dirige o grupo responsável pela segurança. É autora dos procedimentos operacionais padrão e das bases de dados dos procedimentos realizados em doentes disponíveis para investigação.