Back
destaque-ipo-ipo-sem-tabaco.jpg

16 de Maio 2018

IPO sem tabaco

A partir de 30 de maio de 2018 será proibido fumar em todos os edifícios e em todos os espaços exteriores do IPO Lisboa. A medida abrange os cigarros tradicionais, eletrónicos e os novos produtos de tabaco sem combustão.

O Conselho de Administração decidiu interditar o consumo de tabaco em todo o IPO (edifícios e todos os espaços exteriores), dando assim cumprimento à Lei n.º 63/2017. A medida entra em vigor a 30 de maio, a antecipar o Dia Mundial Sem Tabaco, que se assinala dia 31 de maio (feriado), e aplica-se aos funcionários do hospital, aos doentes, familiares e visitantes e abrange os cigarros tradicionais, eletrónicos e os novos produtos de tabaco sem combustão.

 

Com esta decisão, pretende-se promover um ambiente livre de tabaco em todo o perímetro do Instituto, alertar para os malefícios do tabaco, proteger os não fumadores da exposição involuntária ao fumo e ajudar as pessoas que querem deixar de fumar.

 

O IPO Lisboa dispõe de uma consulta de cessação tabágica, à qual têm acesso os profissionais e os doentes do Instituto que desejem deixar de fumar.

O fumo do tabaco é o principal fator de risco para o desenvolvimento de cancro do pulmão e de muitas outras doenças oncológicas. Mais de 20 por cento das mortes por cancro são atribuíveis ao consumo de tabaco e, por isso, evitáveis.

 

O IPO recebe e trata pessoas com doença oncológica e também está empenhado na sua prevenção, o que inclui estratégias de controle do tabagismo, de que são exemplo as medidas restritivas dos locais onde se pode fumar e o apoio à cessação tabágica.

 

Os profissionais de saúde desempenham um papel fundamental no controlo da epidemia do tabagismo, pois a população valoriza a sua opinião e os seus conselhos relativamente a hábitos e estilos de vida saudáveis. Por isso, devem evitar fumar, dando o exemplo, e disponibilizando a informação necessária a todas as pessoas fumadoras.

 

A proibição de fumar em todos os espaços do IPO abrange os cigarros tradicionais, eletrónicos e os novos produtos de tabaco sem combustão, que produzam aerossóis, vapores, gases ou partículas inaláveis.