Voltar

16 de Novembro 2023

Dia Mundial do Cancro do Pâncreas

Hoje, dia 16 de novembro, assinala-se o Dia Mundial do Cancro do Pâncreas. Efeméride pretende sensibilizar a população para a doença.

O pâncreas é uma glândula do aparelho digestivo, tem cerca de 15 centímetros de comprimento e encontra-se localizado na parte superior do abdómen, atrás do estômago. O cancro do pâncreas ocorre quando se formam células malignas no tecido pancreático. Em Portugal registaram-se 1. 792 novos casos de neoplasias do pâncreas no ano de 2020, segundo dados da Globocan, correspondendo a 3% de todos os cancros diagnosticados.

O cancro do pâncreas é habitualmente silencioso até uma fase avançada da doença e os sintomas variam consoante a localização do tumor no próprio órgão (cabeça, corpo ou cauda). Os sintomas são relativamente inespecíficos, como dor abdominal, perda de apetite, emagrecimento e cansaço. Pode ainda surgir coloração amarelada dos olhos e pele (icterícia) se o tumor envolver a cabeça do pâncreas e provocar obstrução da drenagem biliar (por invasão ou compressão da via biliar, que leva a bílis do fígado para o intestino).

Os principais fatores de risco conhecidos são: o tabagismo, a obesidade, a diabetes mellitus, a pancreatite crónica, alguns tipos de quistos (mucinosos) e a história familiar.

Não existe um programa de rastreio definido para a população geral. Existem apenas recomendações para rastreio a subgrupos específicos com elevado risco de cancro do pâncreas (pela história familiar ou pela identificação de determinadas síndromes hereditárias).

O diagnóstico é habitualmente feito através do exame físico e exames complementares de diagnóstico, como a ecografia abdominal, a tomografia computorizada (TC) com contraste endovenoso, a ressonância magnética (RM) e a ecoendoscopia.

O tratamento deste cancro vai depender em primeiro lugar do seu estadiamento e localização. As opções terapêuticas podem incluir cirurgia, radioterapia ou quimioterapia, isoladas ou combinadas.