Voltar

29 de Setembro 2023

100 anos | Selo comemorativo do centenário do IPO Lisboa

Foi apresentado, esta sexta-feira, o selo comemorativo do centenário do IPO Lisboa, precisamente a três meses da data que assinala os 100 anos sobre a criação do Instituto – 29 de dezembro.

“Os profissionais desta casa são a verdadeira razão para dizer que a confiança vive aqui”. O Ministro da Saúde lembrou o lema do IPO Lisboa na apresentação da emissão filatélica especial, que decorreu na manhã de hoje, no anfiteatro do Instituto, perante uma plateia de profissionais, dirigentes da Saúde e ex-Diretores de Centro e Presidentes do Conselho de Administração, aproveitando para deixar uma palavra de reconhecimento e apreço pelo trabalho diário feito por todos os profissionais, ao longo dos anos.

 

“Esta instituição celebra, este ano, o impressionante centenário, e chegámos aqui graças ao esforço, teimosia e visão de muitas pessoas que ao longo dos anos foram vendo além do seu tempo”, começou por dizer o ministro Manuel Pizarro, lembrando que o aumento de casos de cancro e a sua complexidade trazem uma exigência acrescida a todos os profissionais, a quem deixou “um profundo agradecimento”.

 

Também a Presidente do Conselho de Administração do IPO Lisboa, Eva Falcão, destacou e reconheceu o trabalho e percurso feitos por “todos os que contribuíram e contribuem para o sucesso desta instituição”, sublinhando “o permanente compromisso de todos em promover a investigação, avançar no ensino e melhorar a prestação de cuidados de saúde.

 

“Que este selo sele o compromisso de dedicação à saúde, ao Serviço Nacional de Saúde e às pessoas que vivem com doença oncológica. Juntos, continuaremos a oferecer esperança e os melhores cuidados às gerações futuras”, salientou Eva Falcão, aproveitando ainda para referir os resultados da atividade do IPO, que mostram um crescimento homólogo em quase todas as linhas assistenciais, designadamente nas consultas, cirurgias e sessões de quimioterapia.

António Gentil Martins, neto do fundador deste hospital e fundador do Serviço de Pediatria, abriu a cerimónia, apresentando um resumo histórico dos principais marcos do Instituto que começou com o “grande sonho de um homem de um hospital com muitas valências”, onde “o doente era o rei.” Recordou ainda o avô fundador, que, “partindo do nada, mas com tenacidade, ergueu o Instituto Oncológico.”

 

Edward Limbert, Manuel Abecassis, Bráulio Amado, Ricardo da Luz, Francisco Matoso, Francisco Ramos e João Oliveira, ex-Diretores de Centro e Presidentes do Conselho de Administração do IPO, foram convidados a participar e a deixar as suas assinaturas no sobrescrito da primeira emissão do selo.

 

“O selo que hoje apresentamos pretende homenagear não só as pessoas da atual administração e os fundadores desta instituição, como também de todos os seus trabalhadores e voluntários sem os quais a atividade desta casa de esperança não seria possível”, destacou, na sua intervenção, João Bento, Presidente Executivo dos CTT.

 

A Raul Moreira, Diretor de Filatelia dos CTT, coube a condução da cerimónia que se fez de humor e boa disposição, numa homenagem a uma “casa de ciência, de sabedoria e de cuidadores, onde o doente é o centro”.

 

O Instituto Português para o Estudo do Cancro, com sede provisória no Hospital de Santa Marta, em Lisboa, foi criado em 29 de dezembro de 1923 (Decreto nº. 9333, Diário do Governo nº. 278,1ª Série). O centenário do IPO Lisboa cumpre-se daqui a precisamente três meses.